Remo Brasil

SITE OFICIAL DA CONFEDERAÇÃO
BRASILEIRA DE REMO

Remo Nacional

Nebar: Conheça um pouco da história de Roque Zimmermann, Coordenador Nacional do Nebar e treinador do Clube Náutico America.


Roque Zimmerman: Preparando futuros cidadãos através do remo

O Nebar é um projeto do Governo Federal que atende diversos jovens das categorias de base em modalidades variadas. No Remo, teremos cinco polos  com treinadores localizados nesses estados (Santa Cataria, Rio Grande do Norte, Sergipe, Bahia e Rio de Janeiro), mas outros três  profissionais vão atender a todos os núcleos.

roque zimmermman 001

O Coordenador do Projeto Roque Zimmermann, a Nutricionista Erika Santinoni e o Fisioterapeuta Rafael Jacob estarão dividindo os seus trabalhos entre os cinco núcleos, cada um em sua especialidade. Vamos conhecer cada um deles, um pouco melhor?! 

Começamos pelo Coordenador Nacional do Nebar e Treinador no Náutico América, Roque Zimmermann!

Amor que passa de pai para filho: A história de Roque Zimmermann, treinador do Esporte Clube América de Blumenau e Coordenador Nacional do Nebar, começou em sua infância quando seu pai, Walfrid Zimmermann, já remava. "Meu pai tem 69 anos e rema há mais de 50. Ele me levava para a garagem de barcos do clube e tudo foi muito natural. Lembro que comecei a remar com nove anos", conta Roque.

Só depois de alguns anos que o então atleta começou a competir. Após passar pelas categorias de base e seguir treinando, em 2013, veio o primeiro resultado de destaque internacional de Roque: o vice-campeonato sul-americano, defendendo a seleção brasileira. No mesmo ano, o remador participou de duas Copas do Mundo. " Essas foram as maiores experiências que tive no remo. As Copas do Mundo abriram meus olhos, vi o cenário mundial, remar ao lado de atletas que eram grandes nomes do esporte. Foi fantástico!", enaltece o Coordenador Nacional do Nebar.

roque zimmermann 002 site

Enquanto defendia as cores do Brasil e do America, Roque Zimmermann buscava se aprimorar fora das raias de remo também. Em 2009, o atleta se formou em Educação Física. Antes mesmo da graduação, o remador treinava as categorias de base do America desde 2007, como auxiliar técnico.

Foram 10 anos atuando como treinador auxiliar, sempre treinando os atletas mais jovens. " As categorias de base são uma predileção minha. Eu gosto muito de formar atletas e ver que alguns remadores, que passaram por mim, chegaram ao alto rendimento, é muito bacana, mas principalmente, que usaram ferramentas aprendidas no esporte para ter sucesso nas suas vidas", explica Roque.

Disciplina, autocontrole, responsabilidade, foco, inteligência emocional são algumas das ferramentas necessárias para ter sucesso dentro e fora das raias de remo. Para Roque, construir o atleta vai muito além da remada. Apesar da ênfase que o treinador coloca na técnica e principalmente na construção de uma base positiva e saudável para que os remadores possam se desenvolver e chegar bem nas categorias principais, sem queimar etapas e sem estarem desgastados.

Após a graduação na faculdade e entre os treinamentos e trabalho no América, Roque buscou ainda mais conhecimento na área. Depois da pós-graduação, o então auxiliar técnico fez o curso da Academia Brasileira de Treinadores (ABT), que é o programa de formação e certificação de profissionais para atuarem como treinadores de alto rendimento no Instituto Olímpico Brasileiro.

"O ABT abriu realmente a minha mente. Valeu muito a pena, foi como um mestrado. Aplico e uso os conhecimentos adquiridos lá e me ajudou a definir, que caminho eu deveria seguir no ano seguinte e com a minha carreira", comenta Roque. Em 2018, o treinador assumiu a responsabilidade como técnico principal do América.

IMG-20230422-WA0213

Reflexo da mentalidade de Roque Zimmerman como treinador é a história no esporte de diversos atletas formados no América. Entre eles, o remador Daniel Passold Filho, campeão sul-americano de single skiff em 2023, na categoria júnior. "O Daniel chegou no remo devido a um amigo. O desenvolvimento dele veio naturalmente na palamenta simples e depois na dupla. Primeiro brasileiro dele foi no dois sem timoneiro, mas depois, por falta de parceiro, ele foi para o skiff onde se tornou destaque. Ele, como atleta, busca o alto rendimento", explica o treinador.

Apesar da troca entre atleta e remador ser importante, Roque Zimmermann enfatiza que tudo tem que ser bem monitorado. " Aquela linha tênue entre o desgaste e a fadiga e a formação devida de remada e acompanhamento do desenvolvimento do atleta", afirma o treinador.

roque e giulia

Coordenação Nacional: Como coordenador nacional do Nebar, Roque Zimmermann tem um desafio enorme à sua frente. Além de ser o treinador do Polo de Blumenau,  ainda tem que disseminar os treinos em outros estados e acompanhar o desenvolvimento dos atletas.

Focar nos núcleos é prioridade, mas Roque quer ir além. "Estamos sempre dispostos a ajudar atletas e treinadores que não participem do Nebar por estarem fora dos estados em que os polos atuam", afirma o Coordenador. O objetivo é formar remadores com a base bem construída para performar nas categorias principais de alto rendimento, de aumentar o volume de atletas nos polos em que o Nebar atua. Aumentando a quantidade sem perder a qualidade.

 

Nebar: Núcleo de Esporte de Base para o Alto Rendimento inicia seus trabalhos em cinco estados


Com a missão de apoiar a formação de novos atletas e garantir a renovação em alto nível do país para os próximos ciclos olímpicos, o Núcleo de Esporte de Base para o Alto Rendimento (NEBAR) de Remo teve seus novos integrantes escolhidos. A iniciativa pretende manter elevar a modalidade com um trabalho focado no alto desempenho de nossos jovens atletas.

Nebar 2024 para site

O núcleo tem o objetivo de garantir uma transição dos atletas da base para o alto rendimento.

No Remo, o NEBAR é realizado por meio de parceria entre a Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério dos Esportes, Marinha do Brasil, Secretaria de Esportes do Rio de Janeiro, Comitê Olímpico Brasileiro e Confederação Brasileira. Além da ajuda, iniciativa e apoio incansável do Senador Carlos Portinho. A ideia é dar as melhores condições de treinamento aos jovens atletas.

O Nebar vai atuar em cinco estados diferentes no Brasil, três deles na região nordeste do país: Santa Catarina, Rio de Janeiro, Sergipe. Bahia e Rio Grande do Norte. Uma equipe multidisciplinar foi escolhida, por edital, para atuar à frente deste importante projeto que já é realidade vitoriosa em diversos esportes olímpicos no Brasil.

Os trabalhos do Nebar já começaram, tendo o treinador Roque Zimmermann à frente do projeto como Coordenador Nacional, Rafael Jacob como fisioterapeuta e Erika Santinoni como Nutricionista. Nomes conhecidos da comunidade do Remo e com vasta experiência em suas áreas. Outros quatro treinadores vão atuar em seus respectivos estados.

Os objetivos do Nebar sao: aumentar o nível técnico dos atletas, capacitar treinadores e outros profissionais envolvidos, difundir a modalidade, garantir que os atletas das categorias de base tenham um treinamento que se aproxima da rotina dos atletas de alta performance, mantendo-os sempre motivados e condicioná-los para competições nacionais e internacionais.

CBR e Marinha formam a primeira turma de treinadores de Remo Costal


No mês de janeiro, a Confederação Brasileira de Remo, em parceria com o Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN), coordenou o primeiro curso para formação de Treinadores de Remo Costal do País. As aulas foram ministradas pelo professor Edson Salles. Dezessete militares foram capacitados nas disciplinas: regulagem e manutenção de embarcações, técnica do movimento da remada e Treinador (nível 1).

cefan 010

O Remo Costal, mais nova modalidade olímpica, entrou para o Programa dos Jogos de Los Angeles 2028 e nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2026 no Senegal, no formato de "Beach Sprint". A nova modalidade conta ainda com competições de Travessia (Endurance).

Em parceria com a CBR, a Marinha do Brasil busca fomentar a prática em projetos de base, como Programa Forças no Esporte, capacitar profissionais técnicos, desenvolver  novos talentos esportivos para o Alto Rendimento que possam integrar o  Programa Olímpico da Marinha (Prolim).

O Prolim, que conta com oito remadores de alto rendimento entre os seus atletas, tem a finalidade de promover o desenvolvimento do esporte nacional, com ênfase nos esportes náuticos e aquáticos, a fim de contribuir para transformação do Brasil numa potência olímpica, fortalecer a mentalidade marítima e projetar a imagem da Instituição.

PBO: Prêmio corou os melhores do ano em celebração no Rio de Janeiro


A 24ª edição do Prêmio Brasil Olímpico corou os melhores atletas do país na temporada 2023. A cerimônia promovida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) foi realizada na Cidade das Artes, Zona Oeste do Rio de Janeiro, nesta sexta(15).

PBO2023 vencedores

No Remo, o grande vencedor da noite, foi Lucas Verthein Ferreira(Botafogo). O remador fez uma temporada brilhante, quebrando um jejum de 36 anos da modalidade, trazendo a tão sonhada medalha de ouro em Jogos Pan-Americanos. Conquista esta inédita em sua prova o single skiff masculino (M1x).

Lucas ainda liderou o ranking nacional durante as seletivas, conquistando importantes colocações em competições internacionais ao longo do ano e ganhou quatro medalhas de ouro durante o CBI Unificado de Remo, tendo 100% de aproveitamento em suas provas.

Lucas Trofeu

Sempre focado nos desafios do ano seguinte, Lucas, logo após a conquista da medalha de ouro Pan-Americana, já falava nos planos para a classificação olímpica de Paris e melhorar seu desempenho durante mundiais e Copas do Mundo. O remador é campeão sul americano de Remo e conquistou a medalha de bronze em 2016 no Mundial da World Rowing, realizado na Holanda.

In memoriam: Em um momento de celebrar a história e vida de grandes personalidades do esporte que nos deixaram em 2023, o Comitê Olímpico Brasileiro fez uma linda homenagem aos atletas olímpicos José Carvalho e Nilton Alonço, o Gaúchinho.

O prêmio Brasil Olímpico fez menção também ao desempenho do Brasil nos Jogos Pan-Americanos. Realizados em Santiago, no Chile. A equipe conquistou 205 medalhas e terminou em segundo no quadro geral. No torneio, os atletas brasileiros garantiram 40 vagas para as Olimpíadas. A temporada 2023 foi um aquecimento para o ano dos Jogos de Paris 2024 .

CPB: Prêmio Paralímpicos 2023 homenageia os melhores do ano em São Paulo


O Prêmio mais tradicional do esporte paralímpico brasileiro aconteceu em São Paulo e homenageia atletas de 24 modalidades que foram destaque no cenário nacional e internacional.

diana discurso

No Remo o Troféu Paralímpico 2023 foi para a nossa representante em Tóquio 2021, Diana Barcelos, que em 2023 foi Bi Campeã Brasileira, sexto lugar no Mundial ao lado de Jairo Klug, e segundo lugar na II Copa do Mundo ao lado de Valdeni da Silva Junior.

“Quando falo sobre essa premiação fico emotiva. É a materialização de um ano de muita dedicação, muito esforço. Esporte tem resultados às vezes bons, em outras oportunidades, nem tanto. Já tivemos oportunidade de conseguir uma segunda vaga para o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Paris, por uma posição não conseguimos. Agora vamos ter uma nova chance na Suíça no próximo ano para carimbar o passaporte, firma Diana"

“É importantíssimo estar aqui, no dia de hoje, premiando os melhores atletas de 2023, um ano histórico para o esporte paralímpico brasileiro. Voltamos dos Jogos Parapan-Americanos de Santiago com recorde de medalhas. Hoje é o dia de brindar tudo isso que os atletas fizeram em 2023 e já deixar o gostinho do que pode vir em 2024 nos próximos Jogos Paralímpicos”, declarou o vice-presidente do CPB, Yohansson Nascimento.

Nessa sexta(15) é a vez do COB homenagear os melhores do ano no prêmio Brasil Olímpico, que chega a sua 24ª edição na Cidade das Artes, Rio de Janeiro, com transmissão do Canal Olímpico.

Willian Giaretton completa o Programa de Transição de Carreira do COB e se prepara para o próximo passo profissional


Formatura da 10ª turma do Programa de Carreira do Atleta – Núcleo de Transição de Carreira foi realizada nesta última quinta-feira, 30, durante o 3º Seminário Presencial, no Rio de Janeiro

Mais 18 atletas estão prontos para dar o próximo passo em suas vidas rumo à transição para uma nova carreira profissional, entre eles: Willian Giaretton, o Magrão, nosso representante nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O atleta ainda conquistou medalhas de bronze em Jogos Panamericanos e Copa do Mundo.

willian giaretton

O Curso: Com o encerramento da 10ª edição do Programa de Carreira do Atleta – Núcleo de Transição de Carreira (PCA Transição), uma das ações conduzidas pelo Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), área educacional do Comitê Olímpico do Brasil (COB), esportistas que representaram o país em grandes competições se consideram mais confiantes e preparados para o futuro em suas carreiras. Os conhecimentos e habilidades adquiridos durante todo o tempo atuando como atletas servirão como diferenciais no mercado de trabalho.

"O curso foi bem produtivo e agregador. Pois me deu um norte para o futuro, me encorajou mais para dar os meus próximos passos como treinador e seguir na área do esporte, pois é o que eu gosto", fala Willian sobre a importância do Programa de Carreira do Atleta – Núcleo de Transição de Carreira. Durante o 3º Seminário, a agenda contou com atendimento de mentoria direcionada, em que os atletas foram divididos em grupos conforme a área em que desejam atuar no mercado de trabalho - Consultoria Financeira, Gestão Esportiva e Treinadores -, recebendo aconselhamento de profissionais dessas áreas.

willian barco

Também foram apresentados os resultados do Programa, encerrados os processos de Coaching e de Mentoring, que foi uma das novidades dessa edição. O PCA é uma iniciativa do COB que visa dar suporte ao atleta em sua formação global, com o objetivo de auxiliar no processo de transição para uma nova carreira. Com abrangência nacional, o Programa teve duração de seis meses, de maio a novembro de 2023, e foi estruturado em três módulos realizados através de atividades presenciais e a distância.

Essas atividades foram compostas por palestras e workshops; conteúdo on-line disponível em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) sobre temas considerados centrais para o processo de transição, como Gestão de Carreira, Empreendedorismo e Gestão Financeira; além dos processos de Coaching e Mentoring, focados no desenvolvimento pessoal e profissional, respectivamente. Além disso, os atletas foram beneficiados com bolsas de estudo de graduação e pós-graduação da Universidade Estácio de Sá e bolsas de curso de inglês.

Na edição de 2023, a 10ª realizada, o PCA Transição contou com 18 atletas com participação em Jogos Olímpicos, Pan-americanos e/ou Sul-americanos.O PCA é uma iniciativa do COB que visa dar suporte ao atleta em sua formação global, com o objetivo de auxiliar no processo de transição para uma nova carreira. Com abrangência nacional, o Programa teve duração de seis meses, de maio a novembro de 2023, e foi estruturado em três módulos realizados através de atividades presenciais e a distância.

Essas atividades foram compostas por palestras e workshops; conteúdo on-line disponível em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) sobre temas considerados centrais para o processo de transição, como Gestão de Carreira, Empreendedorismo e Gestão Financeira; além dos processos de Coaching e Mentoring, focados no desenvolvimento pessoal e profissional, respectivamente. Além disso, os atletas foram beneficiados com bolsas de estudo de graduação e pós-graduação da Universidade Estácio de Sá e bolsas de curso de inglês.

Na edição de 2023, a 10ª realizada, o PCA Transição contou com 18 atletas com participação em Jogos Olímpicos, Pan-americanos e/ou Sul-americanos. O PCA é uma iniciativa do COB que visa dar suporte ao atleta em sua formação global, com o objetivo de auxiliar no processo de transição para uma nova carreira. Com abrangência nacional, o Programa teve duração de seis meses, de maio a novembro de 2023, e foi estruturado em três módulos realizados através de atividades presenciais e a distância.

Essas atividades foram compostas por palestras e workshops; conteúdo on-line disponível em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) sobre temas considerados centrais para o processo de transição, como Gestão de Carreira, Empreendedorismo e Gestão Financeira; além dos processos de Coaching e Mentoring, focados no desenvolvimento pessoal e profissional, respectivamente. Além disso, os atletas foram beneficiados com bolsas de estudo de graduação e pós-graduação da Universidade Estácio de Sá e bolsas de curso de inglês.

Na edição de 2023, a 10ª realizada, o PCA Transição contou com 18 atletas com participação em Jogos Olímpicos, Pan-americanos e/ou Sul-americanos. O PCA é uma iniciativa do COB que visa dar suporte ao atleta em sua formação global, com o objetivo de auxiliar no processo de transição para uma nova carreira. Com abrangência nacional, o Programa teve duração de seis meses, de maio a novembro de 2023, e foi estruturado em três módulos realizados através de atividades presenciais e a distância.

Essas atividades foram compostas por palestras e workshops; conteúdo on-line disponível em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) sobre temas considerados centrais para o processo de transição, como Gestão de Carreira, Empreendedorismo e Gestão Financeira; além dos processos de Coaching e Mentoring, focados no desenvolvimento pessoal e profissional, respectivamente. Além disso, os atletas foram beneficiados com bolsas de estudo de graduação e pós-graduação da Universidade Estácio de Sá e bolsas de curso de inglês.

Na edição de 2023, a 10ª realizada, o PCA Transição contou com 18 atletas com participação em Jogos Olímpicos, Pan-americanos e/ou Sul-americanos. O PCA é uma iniciativa do COB que visa dar suporte ao atleta em sua formação global, com o objetivo de auxiliar no processo de transição para uma nova carreira. Com abrangência nacional, o Programa teve duração de seis meses, de maio a novembro de 2023, e foi estruturado em três módulos realizados através de atividades presenciais e a distância.
Essas atividades foram compostas por palestras e workshops; conteúdo on-line disponível em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) sobre temas considerados centrais para o processo de transição, como Gestão de Carreira, Empreendedorismo e Gestão Financeira; além dos processos de Coaching e Mentoring, focados no desenvolvimento pessoal e profissional, respectivamente. Além disso, os atletas foram beneficiados com bolsas de estudo de graduação e pós-graduação da Universidade Estácio de Sá e bolsas de curso de inglês.

Na edição de 2023, a 10ª realizada, o PCA Transição contou com 18 atletas com participação em Jogos Olímpicos, Pan-americanos e/ou Sul-americanos.


Texto: Time Brasil
imagens: acervo Remo Brasil 

PATROCINADORES

Secretaria Especial do Esporte - Ministério da CidadaniaLei de Incentivo ao Esporte

APOIADORES DO REMO BRASILEIRO

Comitê Brasileiro de ClubesNutrigenikDietpro Rio CVB

FORNECEDORES OFICIAIS 

Swift Racing

CONFEDERAÇÃO FILIADA

Comitê Olímpico do BrasilComitê Paralímpico BrasileiroWorld Rowing Autoridade Brasileira de Controle de DopagemComitê Brasileiro de Clubes

Redes Sociais

Facebook - Confederação Brasileira de RemoConfederação Brasileira de Remo - InstagramConfederação Brasileira de Remo - TwitterYou TubeIssuu - Confederação Brasileira de RemoLinkedIn

Conf. Brasileira de Remo

SEDE RIO DE JANEIRO
Avenida Graça Aranha, 145, Sala 709
Centro, Rio de Janeiro, RJ – 20030-003
Telefone: (21) 2294-3342
Telefone: (21) 2294-0225
Celular: (21) 99198-2986  WhatsApp
Segunda a sexta, das 9h às 18h

ESCRITÓRIO FLORIANÓPOLIS
Rua Patrício Farias, 55, Sala 611
Itacorubi – Florianópolis, SC
CEP 88034-132
Telefone: (48) 3206-9128
Celular: (21) 99118-4620
Segunda a sexta, das 9h às 18h